Cozido de sapo, Linux e o novo visual do Ubuntu [atualizado 4/12]

"Coloque um sapo na água fervendo e ele pulará para sair. Agora coloque ele na água fria e aqueça. O sapo irá ficar na água até morrer cozido." Essa receita de sapo cozido, ou melhor, essa parábola, vi no filme Dante's Peak, e foi idealizada, em seus livros, por Peter Senge, diretor da Sloan School of Manager do MIT, fundador da Society for Organizational Learning e referência no mundo corporativo.


Já expliquei aqui que considerar o costume é um fator primordial para qualquer investida, bem como considerar a sensação de novidade. Unindo esses dois fatores, costume-novidade, pode gerar resultados imprevistos se não haver planejamento adequado. Um marketing que vise transformar a novidade em necessidade tira qualquer entrave do fator costume.


Por exemplo, o Ubuntu é um dos sistemas mais simples de usar, mais amigáveis, que tem inclusive um método de instalação de programa dos mais fáceis que existem. Mas é comum crítica do "marinheiro de primeira viagem", de quem nunca usou.


A Apple, com seu Mac OS X, tem igualmente um sistema diferente, com conceitos diferente do detentor de mercado, o Windows, mas a Apple consegue criar uma necessidade nos seus clientes, consegue fazer o diferente ser desejado. As dificuldades de mudança são parcialmente esquecidas pelo brilho do desejo (esse fator faz a curva de demanda ser alterada, típica de "produtos de luxo").


A relação com a parábola do sapo, é que uma mudança gradativa, pode ser boa, para não criar entraves, para ser melhor aceito pelo público, no caso da usabilidade, e o aprendizado ser suave. A Apple, claro, consegue criar necessidades, criando desejos, então consegue compensar, mas quantas empresas hoje conseguem ter um departamento de marketing genial e um chairman como Jobs?


No caso do novo visual do Ubuntu, não sei se a apresentação da nova identidade visual foi acertada. Se por um lado vai ser bom uma versão de suporte estendido ter um visual remodelado, já que esse tipo de versão é que é vendida de fábrica em computadores como da Dell, vai ser ruim para o impacto do visual modificado que virá inevitavelmente quando sair o Gnome 3, com a versão 10.10 do sistema da Canonical (nota de atualização: Ubuntu 10.10 não veio com o Gnome 3).


Na questão de estética, a mudança gradual, em princípio, não é tão benéfica. É como a água do sapo esquentando aos poucos. No final, as mudanças na identidade visual seriam muito mais notadas e desejadas com uma mudança brusca.


Comentário de atualização: Canonical anunciou que será padrão a interface Unity, que vem com o Ubuntu Netbook Remix. Talvez agora o Ubuntu já chegue com a "água fervendo". Será?


Imagem destacada: James Lee (jronaldlee) / Creative Commons / http://www.flickr.com/people/jronaldlee

Um comentário:

  1. Cara vc disse tudo, desde que foi lançado o 10.04 com esses botoes da janela do lado direito nasceu a ideia de mudanças que viriam a acontecer aos poucos. Acho que no livro de Maquiavel, O Principe, ele diz q e preciso dar as coisas aos poucos para o povo, assim o principe seria aceito por muito mais tempo. A Canonical tem muitas ideias pra mudar o visual do ubuntu, só que não faz isso de uma vez se não o SO acaba "sem novidade".

    ResponderExcluir