Com MeeGo ou sem MeeGo?

A boataria anda solta nos últimos dias. De acordo com informações a Nokia estaria por largar o MeeGo, o sistema Linux desenvolvido em parceria com a Intel, vindo da fusão entre Maemo e Moblin, antes mesmo de lançar algum aparelho com o novo sistema operacional. E no lugar do sistema livre a empresa finlandesa estaria por adotar o sistema fechado e pago da Microsoft, o Windows Phone 7.


Não bastasse isso, o CEO da Nokia, Stephen Elop, mostrou despreparo quando deu um chute na empresa, afirmando publicamente que a Nokia é uma plataforma de petróleo em chamas.


Elop, que acabou de chegar vindo da Microsoft, fez bem em abrir os olhos, vendo que o mercado da Nokia está diminuindo de maneira incrível nos últimos anos, mas parece se comportar como uma louca medrosa que acabará de ver uma grande ratazana.
Stephen Elop, e outros, parecem achar que o barco está afundando, a empresa indo a falência, coisa que não está. A Nokia ainda é líder de vendas e tem um valor maior, mesmo tendo perdido mais da metade do que valia, que a Sony, Dell, Adobe e tantas outras empresas concorrentes ou não.


Com o gigantismo da Nokia ainda dá sim de voltar a dominar e ditar tendências de maneira fácil, mas é preciso arrumar a casa, mudar o que está prejudicando a Nokia, ou seja, o comando incompetente que está gerindo a nave em queda.




MeeGo é o sucessor do Symbian e do Maemo em smartphones da empresa. Ele veio da fusão do Maemo, que estava presente em alguns tablets da Nokia, e do Moblin, plataforma da Intel. O projeto ainda é apoiado pela Fundação Linux.


Há tempos já se sabe que o Symbian não é apropriado para smartphones e esse é o motivo da existência do MeeGo. Com o MeeGo a Nokia faria o mesmo que a Google fez. Pegar o poderoso kernel Linux e faz um sistema para dispositivos portáteis. A vantagem de se usar Linux é se beneficiar de um kernel com décadas de uso, estável, já reconhecido e com um ciclo de inovações incrível, e economizar muito, já que os custos são diluídos entre os desenvolvedores.


A parceria com a Intel é pontual. A Intel pretende entrar no mercado de portáteis, sob domínio da arquitetura ARM, com processadores de grande poder e baixo consumo. Espera-se que a empresa californiana lance seu primeiro exemplar da nova plataforma ainda esse semestre, em um smartphone da Nokia.



CEO louco!


Muitos querem que a Nokia use o Android, o sistema Linux da Google. Outros querem esquecido Microsoft WP7. Aparentemente o Stephen Elop também quer deixar o MeeGo de lado. Os rumores é que Elop queira adotar o produto de sua antiga empresa, o Microsoft WP7.


Vale lembrar uma coisa. Uma empresa grande, que quer e tem possibilidade de ditar os rumos do mercado, não pode se dar ao luxo de ser comum. O que diferencia a Apple e RIM, por exemplo, não é somente o aparelho iPhone ou BlackBerry, mas sim o que interage com o usuário, que é o sistema operacional. A própria Nokia está vendo seu império cair aos poucos por conta da falta de um novo sistema próprio para smartphones.


MeeGo então é estratégico. Faz ela ter um sistema poderoso, com custos de desenvolvimento reduzido (bem longe dos 4 bilhões que a Nokia gasta no Symbian) e exclusivo, como faz a Apple, RIM e fará a HP com seu WebOS.


Se Elop deixar abandonar o MeeGo, além de perder a parceria com a Intel, e com outras tantas empresas que apoiam o MeeGo, que pode ser muito bom para o futuro, e do tempo de dinheiro gasto com o MeeGo, poderá jogar mais coisas foras. Deixar o MeeGo de lado é não ter visão de cenários, é deixar a Nokia voltar para o mesmo nível de dezenas de outras empresas. Dar prioridade ao MeeGo é ser ousado. Coisa que a empresa não fez nos últimos anos. E quem não ousa não faz sucesso.


Mas não me espantaria que Stephen Elop optasse por deixar o MeeGo de vez. Elop já se mostrou despreparado ao falar, como disse mais acima, que a Nokia é uma plataforma de petróleo de chamas, criando uma atmosfera ruim, de desespero, espantando investidores imediatos, causando preocupação pública sem necessidade (poderia ele guardar para si e fazer seu trabalho, fazer o que tem que ser feito, que é sair da inércia).



MeeGo. Muito mais além de smartphones


Além de smartphones, MeeGo entrará na corrida dos netbooks e tablets, com a nova plataforma da Intel, claro. Para quem não viu em ação, veja:







Sexta, amanhã, vamos saber


Amanhã, sexta-feira, dia 11, a Nokia fará um pronunciamento, neste site, para definir estratégias. Se anunciar parceria com a Microsoft, eles irão ganhar, obviamente, pois é do interesse da Microsoft tentar uma sobre-vida em um mercado que ela não consegue penetrar como o desejado. Com parceria com uma empresa gigante no mercado, o sistema da empresa de Redmond poderá ganhar mais espaço, mas público. Mas quem não percebeu, a possibilidade de ganho é maior para a Microsoft que para a Nokia.

0 comentários: