Futuro do MeeGo

Stephen Elop realmente fez o que parecia irracional. Jogou fora o dinheiro e tempo investido no MeeGo, arrumou briga com os próprios funcionários, deu um chute na parceria com a Intel e na chance de ter um sistema diferenciado e exclusivo, com o poder e legado Linux (vantagem essa que foi muito bem aproveitada pela Google com o Android e está sendo com o WebOS da HP) e preferiu perder independência no desenvolvimento do software e até hardware. O atual CEO da Nokia, Elop, ex-funcionário da Microsoft (ele ainda tem muitas ações de sua antiga empresa), e conhecido por vender a Macromedia para Adobe, pareceu ter dado o tiro final no MeeGo e mandado para o cemitério dos vaporware. No entanto não é essa a opinião da Intel.



Suzy Ramirez, porta-voz da Intel, disse que a empresa está muito decepcionada com a decisão da Nokia. Em entrevista ao The Register Ramirez confirmou que os planos para o MeeGo vão muito mais além de um sistema para smartphones, sendo já a plataforma escolhida, por exemplo, pela GENIVI (grupo que conta com Intel, BMW, GM, ARM, Peugeot, Hyundai, Renault, entro outros) para equipar o sistema inteligente de carros.


Nos netbooks a Fujitsu anunciou que MeeGo será o sistema padrão. E vendo a lista de apoiares do sistema, teremos outras distribuições OEM com base no MeeGo vindo no futuro: http://meegozone.com/partners/


Mas a principal aposta da Intel será mesmo na nova fronteira tecnológica, os tablets. Veja a última demonstração do sistema em ação:








Vendo tudo isso, e lembrando que a Intel irá entrar no segmento dos portáteis com uma plataforma de hardware energeticamente eficiente concorrendo com a ARM, alguém aposta a morte do MeeGo?

0 comentários: