Politicagem, incompetência, má gestão ou "birrinha"?

Esses dias saiu a notícia que o governo alemão está trocando o sistema operacional baseado no kernel Linux pelo sistema proprietário da Microsoft, o Windows. Com isso vai pelo buraco o plano de migração para o pinguim. A alegação do governo alemão é que a troca deve-se, primeiro, por incompatibilidade de documentos de escritório, e segundo, por reclamações dos usuários.


Vamos rever os pontos. Que documentos estamos tratando? Se for um específico de alguns órgãos, o problema está nos programas usados. Isso acontece na transição. É normal e visto no planejamento de migração. Se for documentos de pacotes de escritório, isso não existe, pois o padrão adotado é universal, o ODF.


Se pegar as reclamações de usabilidade dos usuários, fica fácil de ver que inexiste treinamento básico. Treinamento constante é essencial para aumentar a produtividade, (ttanto no setor público quanto no privado) e se há reclamações verdadeiras, treinamentos não estão sendo feitos, o que é um erro grotesco. Mais grotesco do que voltar para o Windows XP! Sim! O sistema semi-morto da Microsoft.


A migração não era somente para diminuir custos, economizando dinheiro público, mas também para fins estratégicos. Usar Linux é de vital importância para independência tecnológica, soberania nacional e criação de know-how no desenvolvimento dentro do próprio país. Linux, como outros softwares livres, possibilitam isso.


O que parece estar ocorrendo é o que eu já disse no caso de Maringá. Há uma falta de visão de cenários futuros, uma falta de planejamento político-estratégico que vise o interesse público.


Podemos perceber ingerência em outros lugares, como na prefeitura de Santo André, em São Paulo. A cidade paulista ficou 1 ano com computadores novos parados simplesmente porque a prefeitura se recusava aceitar computadores com Linux. O órgão municipal publicou uma nota absurda, mentirosa, muito cara-de-pau, por sinal, dizendo que o sistema aberto não era compatível com o OpenOffice e Mozilla Firefox, programas que são usados pela prefeitura em seus computadores com Windows.


Pela nota de Santo André, podemos ver o quão perdidos estão. Inventaram uma mentira grotesca para justificar a compra, com dinheiro público, de um sistema no qual é muito bem substituído pelo Linux. Deixaram a população 1 ano sem computadores na biblioteca municipal somente por... incompetência, má gestão ou mesmo politicamente ou "birrinha". Não tem outras alternativas para justificar.


A velha incompetência e má gestão já conhecemos. Geralmente a falta de planejamento, como já expliquei, é o principal entrave no mundo (tanto no setor público quanto no privado). No caso de Santo André, e de outros lugares, por que não?, dá para ter dúvidas se não vem da politicagem - fazer uma nova licitação para algo que já tem? Quem ganha com isso? - ou de "birrinha", pois quem governava anteriormente, responsável pela política de software livre, era de um partido de oposição.
E agora prefeito? Como explicar isso?


Pensando em tudo isso dá vontade de gritar: quando nossos governantes vão aprender a gerir a máquina pública para fazer valer nossos interesses?

0 comentários: