Linux em perigo: Microsoft joga sujo novamente [atualizado]

Microsoft há tempos joga sujo. Ela já "emprestou" direito para empresas e misteriosamente elas desistiram do seu negócio lucrativo (caso do Corel Linux, uma das mais promissoras distribuições); já fez pressão para montadoras de computadores cortarem do dia para a noite relações com a Netscape; já ameaçou empresas com suposições, nunca provadas (caso das supostas violações de patentes pelo Linux e as cobranças sobre o Android); já entrou em contatos com clientes de concorrentes para espalhar boatos (caso Conectiva); e até já participou de um esquema de corrupção na África para frear a adoção do Linux. Agora ela mostra as garras mais uma vez.


O Windows 8 irá ter uma característica de segurança que coincidentemente bloqueia o Linux no seu hardware! Isso mesmo. A Microsoft depois de disfarçar venda casada de fabricantes de equipamentos com o Windows agora está literalmente "chutando as leis" e obrigando você a só poder comprar hardware autorizado por eles junto com o sistema deles.

O problema (que para a Microsoft é solução) está no Unified Extensible Firmware Interface (UEFI), um dispositivo de hardware inicializado no boot no lugar da BIOS que conterá chaves autorizadas pela Microsoft que protegerão, segundo eles, contra rootkits e semelhantes.

Para quem não sabe nosso Código de Defesa do Consumidor, no artigo 39, proíbe a prática de condicionar a venda de um produto comprando outro produto necessariamente. Nossas leis também não permitem essa prática, de sabotar a livre iniciativa, de limitar a livre concorrência, usando de seu poder econômico, sua posição de mercado para agir de tal forma. A Lei 8.884/94 deixa expressa, no Capítulo II, que a vil atitude da empresa de Redmond não é somente imoral, mas completamente ilegal!

O pessoal da Red Hat alertou para ficar preocupado, mas não entrar em pânico. De qualquer forma é bom ficarmos em alerta e ver as reações das grandes empresas que investem no Linux. Se ninguém tomar iniciativa para pressões lutar contra a Microsoft depois pode ser tarde demais e finalmente a Microsoft, que quase chegou a ser dividida nos anos 2000 pela Justiça americana por causar mal ao interesse público, vai ganhar de vez a guerra nos computadores pessoais.






Atualização:

Steven Sinofsky, presidente da divisão Windows da Microsoft, através de seu blog deu novas informações sobre a função UEFI. De acordo com ele será possível desativar a opção na tela de configuração do boot. Problema resolvido? Lógico que não!

Para o problema ser resolvido primeiro a Microsoft teria que deixar claro para as fabricantes que são proibidos equipamentos que não tenha a opção "ativar e desativar". Por que falo isso? Matthew Garrett, desenvolvedor da Red Hat das informações sobre as consequências do UEFI, falou que há intenções de fabricantes em não permitir desativar o "boot seguro". Depois, seria necessário que a Microsoft permita um GRUB usando GPL, coisa que não é possível, segundo Garrett. Além disso todas as distribuições precisam de uma chave, incluída em toda fabricante de hardware. Isso é um burocracia tremenda, também deixando um sistema dependente das estratégias de um de outra empresa (é racional isso?).

É preciso pensar que a situação é séria e dificultar a livre escolha e a livre iniciativa, protegidos legalmente em todos os países, não é nem um pouco aceitável. Tentar burlar a lei, a ética e até o bom senso é prejudicial para todos e o que está/irá acontecendo/acontecer é uma tentativa de burlar tudo isso, tornando a escolha do consumidor, que é leigo, e não quer entender e não tem motivo para entender especificidades da tecnologia, mais difíceis.

A solução, se a Microsoft não quer sujar ainda mais sua suja imagem, é deixar a opção desativada por padrão. Você então pergunta, "mais isso não vai tornar a vida das pessoas pior? Quem vai saber como ativar essa opção que garante uma hipotética segurança?" Pois então, se as pessoas não vão saber como ativar, por que saberiam desativar? A questão é que as consequências da decisão da Microsoft tira direitos e é muito grave, com consequência terríveis, e só quem tem interesse pessoal (monetário?) é a favor da decisão.






Com informações de: IDG Now!

8 comentários:

  1. Guilherme, até entendo a preocupação com as garras malucas da MS, mas em plena conciencia, não consigo associar uma coisa a outra. Não que eu julgue a MS uma santa, mas geralmente todos os argumentos que encontramos contra ela, esbarram no tal do "suposto". Supostamente ela pagou propina ao governo da Nigeria para barrar o avanço do ?Android?. "Quase" foi divida em um processo em 2000. A Corel se aventurou no Linux, comprando a Caldera, de longe a melhor distro da epoca e depois abandonou sem mais nem menos o projeto, com dinheiro da MS, tudo tambem através de suposições. Penso que deveriam se olhar para os dois lado. Voce citou em seu texto a mensagem da Red Hat. Poderia tambem citar a mensagem diretamente do Blog do Time do Windows, mostrando que a intervenção é dos fabricantes na BIOS do computador. Se voce ativar "Atempt Secure Boot", apenas um SO assinado vai rodar. Se quiser rodar qualquer um, vá até o boot e desative. http://blogs.msdn.com/b/b8/archive/2011/09/22/pro... . Pior do que isso faz o GMAIL com os nossos emails e nunca vi ninguem falar nada, pelo menos em público.

    ResponderExcluir
  2. A situação da Microsoft no mercado é resumida bem no caso de divisão da empresa: "A conduta da Microsoft não se refere a uma série de atos isolados, mas a atos coordenados anticompetitivos para manter seu poder de monopólio", disse o advogado que representa o governo americano, Jeffrey Minear.

    É uma série de atitudes que não são coincidência. Ninguém acredita, mesmo que nunca tenha sido condenado pela Justiça, que Maluf é um exemplo de honestidade. Não é possível q uma empresa privada, por acaso do destino, tenha se metido em tantos esquemas "suspeitos" e ainda seja considerada algo "circunstancial".

    Pra ter uma ideia, a função criada mesmo que seja possível a desativação vai ser usada a psicologia e comportamento das pessoas. Quanto mais dificultar as coisas para que não ocorra mudanças, melhor para eles. Pessoas comuns pouco se importam com peculiaridades de configuração ou mesmo as consequência do que está acontecendo. Mas não é porque as pessoas não se importam que seja certo, justo ou mesmo legal.

    ResponderExcluir
  3. Então, voce citou um caso interessante. Do Maluf. O que fazer então ? Desacreditar nas instituições ? Por que ele não foi condenado ou preso. Ou por que a MS não foi condenada em ultima instancia ? Também concordo que o excesso de coincidencias ruins realmente sejam estranhas. Mas ainda precisamos acreditar que não seja armação. Pelo menos eu me esforço para isso.

    ResponderExcluir
  4. Não é desacreditar nas instituição mas acreditar que o poder econômico interfere muito na sociedade.

    ResponderExcluir
  5. A M$ não consegue fazer um SO decente e ai apela. O SO dela nos proporciona : Perda total de controle sobre a máquina, bugs, instabilidade, lentidão(quanto mais se usa, isso tende a piorar), vírus, spy wares, etc; e tudo isso por R$ 750,00.

    Pagar é o de menos, mas eu pago por coisas boas.

    ResponderExcluir
  6. Guilherme, é justificável que a MS se interesse em dar opções de mais segurança aos seu clientes através do boot seguro. Se o usuário comum nem sabe o que é isso, muito menos se está ativado ou desativado, você acha que um usuário desse está interessado em instalar algo diferente no computador? não entendo de que forma ela pode ser prejudicado. http://goo.gl/WPXoQ

    Acho que todo essa calor em defesa de suas distros livres está prestes a ter um fim, já que essas 1001 distros já estão com os dias contados.

    Sabe os tablets, smartphones? Então, SO que não interessa aos fabricantes não se cria nessa área (lembra do MeeGo?). A arquitetura aí é fechada, quem escolhe é o fabricante. O PC que conhecemos (aberto) está com os dias contados, a MS até resistiu, mas não teve opção ao ver as vendas de desktop despencando a cada ano em prol dos tablets e agora entra com tudo nessa onda.

    A proposta da Microsoft agora busca ser mais completa do que a do Google e Apple, com o Windows 8 que será hibrido atendendo tablets e desktops, mas de carona, sua decisão vai acabar por aposentar de vez os PCs que conhecemos. Mas por outro lado, ninguém vai poder culpar a Microsoft pelo fechamento do PC, já que eles estão sendo os ultimos a apagarem as luzes.

    Não duvidem, pois os PC do futuro será simplesmente um tablet poderoso ligado a uma dock. SO para os dois tipos de uso o Windows 8 será...

    Para que o hardware ser aberto se pode ser fechado e otimizado para nosso SO? Assim pensa Google, Apple, e a Microsoft segue agora o mesmo caminho para não perder a festa.

    Toda essa briga de venda casada, esse monte de distros que não dizem nada, tudo isso vai acabar. Até que enfim.

    ResponderExcluir
  7. "Pois então, se as pessoas não vão saber como ativar, por que saberiam desativar?"
    Quem não sabe desativar, vai saber instalar outro sistema? Ou teria esse interesse?

    E tem mais um detalhe: Essa opção, não será muito praticada nos desktops, e sim nos tablets. Não duvido que nos tablets seja impossível desativar essa opção, já que não são dispositivos feitos para se trocar o sistema operacional. Até hoje foi assim e ninguém reclamou, mas como agora o sistema que virá nos tablets é da Microsoft... Vai chover haters.

    Para protestar contra a impossibilidade de mudar o SO do tablet, vão comprar briga também com Google e Apple.

    Todos já sabemos que Tablet é desenhada para um único e que fazer um que suporte multiplos SOs, incluindo design e suporte, só aumentariam os custos do aparelho.

    Se o futuro realmente é mobile, as comunidades que desenvolvem sistemas alternativos devem se preocupar, pois até a Microsoft está penando para ser o 3° cavalo nessa corrida.

    ResponderExcluir