Dublagem de jogos na fogueira

Nos últimos meses as produtoras mostraram definitivamente que o Brasil é uma região estratégica para seus planos comerciais. Blizzard, Sony, Microsoft e outras empresas estão regionalizando (ou localizando, como as empresas gostam) seus jogos por aqui. Isso significa que teremos mais jogos não só legendados, mas dublados, possibilitando um aproveitamento de toda a arte dos games.


O que era uma situação para comemoração acabou virando em uma situação bizarra. Muitos de nós brasileiros disseram “não” aos games regionalizados. É difícil de acreditar, mas muitos não gostaram da ideia.

Como é de costume, muitos odeiam tudo que é do nosso país ou pensado para nós. Aqui, desde os tempos de colônia, muitos preferem tudo o que é de fora. Quando o Facebook passou para português do Brasil, muitos reclamaram. Quando o Twitter passou para português, lá veio uma horda de pessoas reclamando. Por que isso acontece? Vai se saber... talvez para não se tornar acessível a todos? Muitos não gostam da inclusão digital...

Não sei ao certo. Sei é que as pessoas da França, do Japão, da Alemanha, acham um absurdo um game não ser na sua língua.

O certo é que a regionalização de games está saindo e todos devemos ficar contentes. Aliás, muito contentes. Até a Rússia, o paraíso dos jogos piratas, está ganhando regionalização (e como consequência aumentando a venda de jogos originais). Nós também merecemos ganhar uma versão em brasileiro. Sim, brasileiro. Muitas vezes vou dizer que falamos “brasileiro”. Nós falamos português, claro, mas o que falamos não é o mesmo português europeu. Jogos em português europeu existem às pencas. Quem não gostou de Uncharted 1 e 2 e Heavy Rain em português de Portugal?

Mesmo sendo um tanto estranho por causa do sotaque (os portugueses devem achar o nosso igualmente estranho) os jogos ficaram muito mais divertidos por eu conseguir entender o diálogo e conseguir penetrar no roteiro onde antes não conseguia por não compreender inglês.

Uncharted 3: Drake ficou Decepcionado com a qualidade da dublagem
Mas nem tudo são flores no atual estágio de regionalização. As legendas estão boas e estão ótimas para entendermos os roteiros cada vez mais complexos. O grande problema está nas dublagens.

É fantástico ver um bom jogo desenvolvido no meu idioma. Os personagens ganham vida, a imersão fica muito maior. Mas é terrível ver algumas situações. A mais recente está acontecendo com Uncharted 3.

O game exclusivo para PlayStation 3 da Naughty Dog (cuja distribuidora é a Sony) ganhou finalmente o idioma brasileiro. No entanto o estúdio escolhido pela Naughty Dog não parecer ter as qualidades para fazer uma regionalização que Uncharted 3 merece.

A iniciativa é boa, muito boa, mas o resultado não está sendo agradável. As interpretações são mecânicas, as cenas não passam emoção. Fica parecendo que estão lendo uma lista de supermercado. Isso tudo é resultado de atuações amadoras e/ou direção ruim. Parece que nem atores ou dubladores não são profissionais.

Veja o resultado da versão brasileira:



O estúdio escolhido pela produtora do game é de Miami. Miami tem a fama de ser escolhida para reduzir custos, no entanto, como consequência, a qualidade é reduzida também.



Esse vídeo mostra mais uma tradução do que uma dublagem. Dublagem não é simplesmente traduzir, mas sim fazer uma versão compatível com nosso idioma e nossa cultura. Gírias e colocações de certas frases tem que fazer sentido para nós. As interpretações também tem que ser agradáveis, passando emoção, dando a sensação que quem está falando está no filme ou na animação.
Vejam como é uma dublagem profissional e sinta como um bom trabalho de direção é essencial, assim como o profissionalismo de quem interpreta é necessário:



Agora veja a versão feita por um estúdio brasileiro, o Zegerstudio, tendo como dublador Ricardo Schnetzer, dublador de Tom Cruise e Nicolas Cage:



Essa versão foi um teste. A qualidade final ficaria ainda melhor. O estúdio brasileiro mandou para a Sony dar uma olhada, para ver se queriam. No entanto tudo indica que já estava acertado com o estúdio de Miami. Por que o estúdio de Miami foi escolhido? Nem a Sony Brasil sabe ao certo. Sabe-se no entanto que o resultado não agradou ninguém.

Espero que logo deem ouvido para nós, consumidores, que estamos pagando nada barato e queremos algo de qualidade. Espero também que as desenvolvedoras levem a sério a regionalização. Existem diversos estúdio brasileiros de qualidade, por que então escolher um duvidoso se até mesmo falaram que preço não é problema? E espero mais ainda que as pessoas, os consumidores daqui, apoiem a dublagem, e não fiquem de elitismo, impedindo a popularização da regionalização dos games.

3 comentários:

  1. Excelente post, Concordo plenamente.

    ResponderExcluir
  2. Olha...... Se for como os filmes e séries. Erros grotescos de tradução, erros na sincronização, a "obrigação" de esperar 5451231132123 anos para ver na TV cheio de cortes...... Eu não gostarei.

    Lógico, que se a dublagem :

    1 - Não ter cortes.

    2 - Sem censura.

    3 - Sem esta de traduções non sence como shinigami para ceifeiro de almas e "fuck you" para va se danar.

    4 - Sem distorções ridículas no enredo.

    Ai sim, acho bom.

    Agora, se a dublagem for como os vídeos abaixo mostram :
    http://www.youtube.com/watch?v=OGwdsAW1bzw
    http://www.youtube.com/watch?v=gbG3wGl3zwQ

    Eu vou baixar ilegalmente em inglês.

    ResponderExcluir
  3. Eu entendo melhor inglês norte-americano do que português de portugal. A dublagem em português de portugal é, no mínimo, estranha para muitos brasileiros.

    ResponderExcluir