Google na lama

O lema mais conhecido da Google quase todos já conhecem: Don't be evil (ou "não seja mal" [tradução livre]). Mas parece que eles não gostam muito de seu próprio slogan. Talvez ainda eles pensem “é para vocês não serem mal, não nós”. Só pode ser.


A empresa da Califórnia sempre está no topo da lista das empresas mais obscuras do mundo da tecnologia. Há muitas investigação contra a companhia correndo nos EUA, pelo FTC, e na Europa, pela Comissão Europeia. Os principais motivos são basicamente os mesmos das grandes empresas estadunidense: abuso de poder de mercado; concorrência desleal; violação de regras de competição e o mais aterrador, invasão de privacidade.

É bom deixar claro que dominância de um segmento de mercado não é abuso. Não é esse o problema. Uma empresa pode muito bem conseguir dominar tudo por seu próprio mérito. Não é essa a questão. A questão é praticar condutas já estabelecidas como irregulares para a manutenção de seu poder e de seu lucro. Querer burlar a Lei é uma prática que deve ser duramente condenada.

A questão fica mais delicada quando a prática ilegal está relacionada com a violação de Direitos Fundamentais. Algo tão importante que grande parte das Constituições dos países protegem com cláusula pétrea, não deixando legislativo algum e até mesmo a vontade do povo fazer alterações que prejudiquem os direitos adquiridos.



Google, no caso, encontrou uma maneira suja de burlar as configurações de privacidade das pessoas. E não é o primeiro caso. Lembram do roubo de dados pessoais da redes sem fio? Google estava capturando os dados dos equipamentos junto com páginas visitadas, senhas e e-mails por onde o carro do Street View passava.

Se não bastasse tudo isso nos últimos dias a coisa ficou pior. Google está envolvida em um jogo sujo para tentar censurar a internet. Google e a revista Veja (e sabe-se lá mais quem) bloquearam as pesquisas para a matéria de Luis Nassif. O jornalista através de seu blog denunciava a envolvimento do editor-chefe da Veja com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, o mesmo que está envolvido com o Senador Demóstenes Torres (DEM-GO). Curiosamente a Veja, principalmente pela coluna de Reinaldo Azevedo, tinha o Senador Demóstenes como o “paladino da ética e da moralidade”.

É de se estranhar o motivo da Google ter bloqueado a reportagem. Por que fariam isso? Não eram eles a favor da total liberdade de informação a ponto de confrontar países? Por que a Justiça brasileira teve que quase fechar as portas da Google Brasil para que a empresa contribuísse com investigações criminais e civis, principalmente com casos de pedofilia e agora eles simplesmente tiram um conteúdo do ar? Google claramente está censurando a internet e tirando o direito constitucional de informação.

Fica a pergunta: em que mais jogos políticos Google estaria envolvida? O que a empresa pretende entrando entrando nessas questões?

Observação: O Partido Pirata do Brasil publicou o conteúdo censurado. Quem quiser, leia:
http://www.partidopirata.org/docs/o_caso_veja_vset08_2.pdf

---

Referências:

Jornal Extra Alagoas. "Google é investigado por suposta violação de privacidade de usuários": http://www.extralagoas.com.br/noticia/1417/geral/2012/03/16/google-e-investigado-por-suposta-violacao-de-privacidade-de-usuarios.html Acesso em: 4 abril 2012.

IDG Now. "Google Street View capturou senhas e mensagens de e-mail nas ruas da França": http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2010/06/18/google-street-view-capturou-senhas-e-mensagens-de-e-mail/ Acesso em: 4 abril 2012.

IDG Now. "Grupo Privacy International vai à polícia contra Google Street View": http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2010/06/10/grupo-privacy-international-vai-a-policia-contra-google-street-view/ Acesso em: 4 abril 2012.

Portal Imprensa. "Série de reportagens de Luis Nassif sobre a 'Veja' é tirada do ar pelo Google": http://portalimprensa.uol.com.br/noticias/brasil/48382/serie+de+reportagens+de+luis+nassif+sobre+a+veja+e+tirada+do+ar+pelo+google Acesso em: 4 abril 2012.

Um comentário:

  1. [...] falando qualquer coisa que seja, desde as atrocidades feitas por Israel, até o escândalo da censura feita pelo Google e Veja para esconder o envolvimento da revista com Carlinhos Cachoeira, ou, quem [...]

    ResponderExcluir