Microsoft pode cobrar para deixar você instalar Linux

Você comprou um computador e você tem o direito de instalar o que bem deseja, não é verdade? Não se depender dos planos da Microsoft e de algumas empresas.

Apesar do computador doméstico ser de padrão aberto e universal (baseado no IBM PC x86) a industria está caminhando para outros rumos, o mesmo rumo que atrasou o desenvolvimento da informática doméstica nos anos 60 e 70: padrões fechados. Isso significa que opções de escolhas serão restritas, concorrência será será diminuída e a dificuldade ao comprar periféricos voltará, pois não teremos padrões universais e abertos, e o preço de tudo irá às alturas.

Fechado ficará os desktops. Com argumento de aumentar a segurança a Microsoft implementou um sistema de autenticação criptografado do sistema operacional. Usando o UEFI, substituto da BIOS, agora qualquer equipamento estará seguro de rootkits e semelhantes, além de iniciar a máquina em tempo reduzido.

Linux é compatível com UEFI, então seria uma excelente ideia... se não fosse o detalhe sinistro: se seu kernel do sistema não possuir uma chave de segurança fornecida pela Microsoft não será possível a instalação.

Microsoft já anunciou. Basta desativar o sistema de segurança, o "Boot Seguro", para poder instalar o Linux. Simples, não é verdade? Mas de acordo com informações, ou melhor, falta de informações (HP, por exemplo, fugiu do assunto quando perguntada), algumas empresas já insinuaram que adotarão o método mais ditatorial possível: "eu faço o computador e você só poderá usar o Windows e ponto final". Essas empresas poderão não deixar você desativar o Boot Seguro da UEFI, e se seu sistema não tiver a chave de autenticação na UEFI fornecida pela Microsoft não será possível instalar nenhuma distribuição Linux ou qualquer outro sistema.




A Microsoft poderia criar políticas de utilização da tecnologia que ela está implementando, não deixando qualquer fabricante excluir a desativação do Boot Seguro, para que sua criação não se torne uma arma imoral e ilegal em seu próprio benefício. Mas a empresa de Redmond evita falar sobre o assunto ou criar qualquer regra, deixando sua criação livre de suas responsabilidades, como se todo esse embrolho tivesse criação espontânea e a empresa não tivesse nada a ver com o assunto. Isso é muito preocupante, principalmente quando pensamos no caso Netscape, onde a empresa fez claramente pressão por detrás dos panos para fabricantes evitarem o navegador concorrente ou mesmo ter qualquer contato com o pessoal da Netscape.

Outra maneira de resolver a situação a Microsoft poderia incluir chaves para o kernel Linux, não é verdade? Mas Microsoft não tem jeito. Em mais uma atitude suja (afinal, sua ideia está criando problemas mas a empresa comporta-se como se não tivesse nada a ver com a questão) a empresa vai resolver o problemas dos usuários de maneira muito peculiar. Ela vai vender a autenticação.

Se não bastasse a Venda Casada que acontece entre PC e Windows, agora vem mais um obstáculo para a livre escolha do consumidor. O poder econômico e de mercado em conjunto com seus parceiros de longa data encontraram uma maneira, antiética e ilegal, de forçar a comprar um produto fechado, mesmo que PC seja um conceito aberto.

Como eu disse em outra postagem sobre o assunto, "no artigo 39 (do Código de Defesa do Consumidor), proíbe a prática de condicionar a venda de um produto comprando outro produto necessariamente. Nossas leis também não permitem essa prática, de sabotar a livre iniciativa, de limitar a livre concorrência, usando de seu poder econômico, sua posição de mercado para agir de tal forma. A Lei 8.884/94 deixa expressa, no Capítulo II, que a vil atitude da empresa de Redmond não é somente imoral, mas completamente ilegal!" Então entrando no país essa prática a Microsoft e as fabricantes de computadores mais uma vez irão agir na ilegalidade.

E sabem do pior? Muitos seres estúpidos pularão de alegria para mais esse atentado contra o desenvolvimento tecnológico, a livre concorrência e interesse dos consumidores.



---

Referências:

Leiam também:

8 comentários:

  1. "Mas de acordo com informações" ... (sic), ai logo abaixo um link do IDG Now...

    Credibilidade é tudo Guilherme, tudo o que IDG Now NÃO tem.

    ResponderExcluir
  2. O pior é que querem criminalizar os meios para burlar os sistemas. Em alguns países como os EUA, já é crime se usar jailbreak. Isto até me lembra uma frase muito famosa.

    "Quando o comércio é controlado através de legislação, as primeiras coisas a serem compradas e vendidas são os legisladores." - P. J. O'Rourke.

    O que a pessoa faz com os próprios equipamentos, sem prejudicar terceiros, não pode ser crime.

    ResponderExcluir
  3. Não concordo, mas vou especificar melhor para deixar claro a falta de informação precisa

    ResponderExcluir
  4. Se vender computador com Windows é venda casada, porque a prática continua em pleno 2012?
    Alguém explica que lei é essa que ninguém faz valer?

    ResponderExcluir
  5. Se afrontam diretamente a Constituição e os Direitos Humanos, como falei no post sobre "Pinheirinhos", imagina quando o assunto é sistema operacional em computadores...

    No Olhar Digital também tem um texto sobre o assunto:
    http://olhardigital.uol.com.br/produtos/central_de_videos/e-usuario-linux-mas-o-windows-veio-instalado-no-pc-saiba-que-e-possivel-pedir-reembolso/12519/integra

    ResponderExcluir
  6. Se o governo conseguisse garantir tudo o que promete..... O fato é, dificilmente todo o código de defesa do consumidor e as leis que supostamente beneficiam o consumidor, vão ser posto em prática. Este é um dos grandes problemas do governo, ele aprova várias e várias leis, sem antes ver como elas serão postas em prática e os impactos negativos que isto pode causar.

    ResponderExcluir
  7. Complicado quando a lei diverge do pensamento das pessoas.

    ResponderExcluir
  8. Na verdade a possibilidade de não aceitar o Windows e pedir o dinheiro de volta estão nos termos de licença desde o Windows 95.
    A grande verdade é que quase a totalidade dos usuários realmente usam Windows, daí não faz o menor sentido pedir o dinheiro de volta, aí a desonestidade já seria do consumidor, que pediria o dinheiro de volta para depois instalar uma versão pirata.
    Enquanto a maioria das pessoas usarem Windows, não tem como mudar essa situação.
    Sendo assim, computador com Windows instalado acaba por atender os anseios das pessoas.
    Precisamos ver o lado do varejista também.
    Hoje o celular que mais vende é com sistema Android, não faria nenhum sentido o varejista ter um estoque de 8 Windows Phone e 2 Androids.
    O próprio sistema de controle de estoque iria sugerir um estoque de 9 Androids e 1 Windows Phone, determinados automaticamente pela procura das pessoas.
    Creio que é por isso que ninguém briga por causa disso, nem mesmo a lei se aplica.
    Se o próprio consumidor acha interessante que venha com Windows... Não tem como a lei agir.
    A minoria que não usa Windows automaticamente se ampara nos próprios termos de licença da Microsoft de devolver o software.

    ResponderExcluir