Baboo e o mau jornalismo

Quem lê o que escrevo deve ter percebido que sou chato com minha opinião. Quem dá opinião e se importa que os outros entendam, aliás, costuma ser um porre, já que é impossível agradar a todos. Mas opinião por pior que seja nunca é um problema, desde que não seja parcial. E essa falta de imparcialidade parece ser um problema hoje em dia. O exemplo que presenciei foi com o site Baboo.
Imagem: HuffingtonPost
Saiu no Baboo, um dos mais conhecidos sites de tecnologia e especializado na plataforma Microsoft Windows, uma notícia intitulada "OS X, iOS e Linux são mais vulneráveis do que o Windows". Eles noticiaram que os sistemas da Apple e do pinguim tem mais vulnerabilidades reportadas. Os dados foram compilados pelo conhecido blog GFI, baseado dos dados do Banco de Dados de Vulnerabilidades Nacional do governo dos EUA.

Até aí tudo bem. É uma notícia como outra qualquer. Não existe má fé alguma do Baboo ao noticiar isso, mas o conteúdo da informação é questionável. Como o Baboo disponibiliza área de comentários, é possível debater sobre isso, objetivando a ampliação do conhecimento e da informação... pelo menos é o que parecia.

Conteúdo questionável







Primeiro de tudo, vamos entender o motivo do conteúdo ser questionável. O número de vulnerabilidades está sensivelmente deturpado. Quando se fala em vulnerabilidades encontradas em cada sistema, não é realmente em cada sistema em sentido estrito, mas em sentido amplo. Entra na conta programas de terceiro, como Mozilla Firefox, Google Chrome, Oracle Java, Adobe Flash, etc etc etc.

O primeiro problema vem aí. Como Linux é somente o kernel e não o sistema operacional propriamente dito os dados estão agrupados. Estão no mesmo conjunto os sistemas Red Hat, Debian, Fedora, Ubuntu, SUSE, OpenSUSE, Android e uma infinidade de outros sistemas. O problema disso é que cada um usa programas de sua escolha, usa sua própria versão do kernel, suas próprias modificações do kernel e tem ciclos de correções próprio para esses programas que fazem parte do sistema operacional completo. A própria entidade que gerencia o banco de dados alerta isso e informa que fez assim para facilitar a formação das informações, não tendo uma função estatística e acusatória de "que sistema é mais vulnerável". A tal afirmação foi feita pelo blog GFI.

O segundo problema vem do conceito de segurança. Ter mais vulnerabilidades não é a mesma coisa que ser mais vulnerável. O que define se um software é mais ou menos vulnerável, ou seja, mais ou menos seguro, é um conjunto de fatores.

Para fazer afirmações sobre a segurança de um sistema operacional, é preciso levar em consideração a quantidade de vulnerabilidades baixa, média e crítica, mas nunca somente isso. É preciso levar em consideração quanto tempo essa vulnerabilidade ficou sem ser descoberta, em quanto tempo foi corrigida, é preciso levar em conta as diretrizes de segurança o sistema, sua política de segurança, a política de gestão de segurança e governança, etc etc etc. Esses últimos, aliás, são importantíssimos. Para ter uma ideia, no tempo que o Symbian dominava o mercado de smartphones e celulares, o sistema era vítima de incontáveis ataques. Foi então que a Nokia mudou sua política de segurança e gestão de segurança. O sistema, mesmo líder, na época, tornou-se praticamente invulnerável. O mesmo acontece hoje com Android e iOS. Apesar do iOS estar na lista como um sistema com mais vulnerabilidades, ele é menos vulnerável que o Android, que possui um política de segurança inadequada.

FUD é antiético


Discussões sobre interpretação de conteúdo são válidas. Com isso as pessoas aprendem a pensar e ganham conhecimento ao longo da discussão. Um ponto de vista que não tinha pensado pode agora ser melhor do que o meu e alguma informação extra eu posso aprender. Não tem nada melhor do que um bom debate civilizado.

A notícia não é problema, mas a tentativa de FUD do pós-notícia é antiética
Mas aí quem começa o mau jornalismo. O Baboo simplesmente tentou desinformar e praticar um dos mais antiéticos recursos, o FUD, que vem do inglês Fear, Uncertainty and Doubt (Medo, Incerteza e Dúvida).

Ao noticiar, o site simplesmente noticiou como qualquer outro. O conteúdo é questionável, como explicado acima, mas não tem problemas mais sérios. O que o Baboo não deveria ter feito é fazer afirmações sem fundamento, de tão baixo nível que fica difícil acreditar que um adulto que trabalha em uma redação de um dos mais conhecidos sites de notícias sobre o Windows consiga dizer publicamente, sem pudores.

"Sensacionalismo e sem fundamento é defender que o Linux é seguro". Ora, defender que o sistema é inseguro é cair no ridículo. Além do mais, o Baboo usa como argumento uma vulnerabilidade que ficou 10 anos sem ser descoberta no Linux para afirmar tal coisa. Então quer dizer que o Windows é inseguro porque existia uma vulnerabilidade crítica de quase 20 anos de idade? Dizer que sim é ridículo.

O Baboo também tentou "argumentar" que os sites do Kernel.org e da Fundação Linux ficaram muitas semanas fora do ar, devido a um ataque. Segundo o site isso supostamente provaria que Linux é inseguro... é, está nos comentários.

Invasão ao site prova que Linux é inseguro? Segundo o Baboo sim.
Segundo o Baboo, o tal episódio comprovaria que Linux não é seguro. Mas isso nada mais é que mais um tentativa antiética de tentar inferiorizar uma plataforma sem fundamento e com base na desinformação.

No fatídico episódio, o Kernel.org, lugar que fica hospedado o kernel Linux, foi realmente invadido. Devido a falha no Linux? Não, de maneira alguma. Quem se informou, sabe que o problema aconteceu por um furto de credenciais. Um administrador foi alvo de um invasor (isso mostra que o ataque foi estruturado e bem planejado), que contaminou sua máquina pessoal com um programa malicioso. A partir daí o invasor teve acesso ao Kernel.org e à Fundação Linux assim que o usuário administrador entrou. Foi uma grave e vergonhosa invasão, mas que nada teve a ver com falhas do kernel Linux ou de um sistema Linux específico, apenas comprovou falha na gestão de segurança do site. Isso, aliás, motivou uma modificação da política de segurança do site.

Fuga da realidade





Após tentar debater com o Baboo e mostrar que suas afirmações era sem fundamentos e antiéticas, por virem de um meio de informação muito visitado, o site provou que não quer informar, mas desinformar. Baboo apagou comentários e bloqueou meu usuário, não permitindo trazer aos leitores mais informações e conhecimento.

Apesar da discussão não violar regras do site, sem pacífica e urbana, o Baboo decidiu bloquear.

O que está havendo com a mídia no Brasil? Não é só Reinaldo Azevedo que inventa e desinforma, mas toda a mídia de maneira geral (é só ver como esqueceram propositalmente os escândalos do Mensalão do PSDB, de Furnas, do HSBC, do Metrô de São Paulo etc etc etc). Onde estará o erro na formação do caráter das pessoas hoje em dia?

0 comentários: