Análise: Monitor LG 25UM65. Vale a pena um monitor 21:9?

Hoje o padrão de telas tem a proporção 16:9, chamada comercialmente de widescreen. Mas algumas fabricantes estão empenhadas em emplacar o padrão 21:9, o ultra widescreen, mais esticado ainda, usado como proporção de produção de muitos filmes. Mas será que vale a pena o 21:9 para além do mundo do cinema?


Há algumas semanas tive um problema grave com meu monitor. Meu gato, como de costume, marcou território na tela. Ele sempre marca território nas entradas da casa para proteger de outros gatos, talvez ele ache que o monitor seja uma, sei lá.

Mas até aí tudo bem, o monitor até achava estranho quando não recebia uma bela mijada do Órion. O desastre veio em seguida. Fui passar um álcool em gel (eu sei, não se passa isso na tela, mas lembre-se que tinha urina com feromônios, para lá de fedida) e a marca do produto de limpeza não era das melhores. No lugar do gel consistente, tinha bastante líquido, tão líquido que acabou escorrendo uma quantidade grande para dentro da tela. E não teve jeito. O líquido ficou dentro da dupla camada de tela, puxada pela diferença de temperatura. Não teve solução possível que resolvesse.



Então tive que comprar outro monitor. Pelas pesquisas, os lojistas decidiram aumentar tudo, mesmo os produtos que são fabricados do Brasil e já estavam em estoque há tempos. Mas um monitor tinha um preço excelente, o LG 25UM65.

Monitor LG 25UM65


Esse monitor de 25" fabricado pela LG tem algo muito interessante. Ela tem a proporção de tela 21:9. É praticamente uma mão de largura a mais em ambos os lados. Mas não é só isso que chama a atenção. Veja um resumo:

- Tela IPS LCD/LED de 25" de 60Hz;
- Resolução 2560x1080;
- Tempo de resposta de 5 ms com "riscos" (leia mais abaixo o motivo);
- Caixas de som embutidas de 5W;
- Duas entradas HDMI;
- Uma entrada DisplayPort;
- Uma entrada DVI-D;
- Uma entrada de áudio;
- Uma saída de áudio (fone de ouvido);
- Consumo de 31W.






O que é bom?


Esse monitor LG se destaca pela resolução de 2560x1080, pela variedade de entradas (HDMI, DisplayPort e DVI) e principalmente pela proporção 21:9. Com essa proporção de tela é possível realizar trabalhos de maneira totalmente diferente do que você faria.

Pode-se trabalhar com muitos textos na tela
Windows 8 ganha espaço para mais colunas visíveis
Outro ponto que não pode ser deixado de lado é a tecnologia IPS. Com essa tecnologia os compartimentos de cristal líquido são alinhados de forma diferente do tradicional, na horizontal e não na vertical. Com isso é possível ter um maior ângulo de visão sem distorção de cores.

Vale destacar também os encaixes para placa de montagem padrão VESA RW120. Com isso é possível fixar o monitor na parede ou mesmo usando uma base nova, com mais possibilidades.

Você também pode dividir a tela e usá-las de modo independente. Metade do monitor fica com o PC e a outra com um notebook, por exemplo. É preciso instalar um software que gerencia essa função, mas só tem para Windows e Mac OS X.

Em um lado o Windows 7 e outro o 8. Imagem: http://www.prad.de/new/monitore/test/2014/lg-lesertest/lg-25um65-lesertest3-teil3.html

O que ficar atento?


Não se trata de um problema, mas é bom ficar atento para o tamanho do monitor. Por ter uma proporção de 21:9 e o tamanho em polegadas ser medido na diagonal, alguns desavisados podem ficar chocados com o tamanho. Esse monitor LG 21:9 não é exatamente grande, apesar de ter 25". O tamanho na vertical mede praticamente o mesmo que meu antigo de 19" em 16:9.

Comparativo com o livro do Hobbit
Também não esqueça que o monitor trabalha somente com entradas de vídeo digital. Nem tente usar um adaptador de VGA para os outros padrões, pois pode haver problemas.

Outra coisa para se pensar é quanto aos jogos. Leia abaixo sobre esse assunto.

O que é ruim?


O tempo de resposta do monitor não é um dos melhores. Segundo o manual pode chegar aos 5 ms. Mas não é bem assim. O problema é a configuração variável.

O tempo de resposta no menu pode ser configurável para Alto, Médio, Baixo e Desligado. O desligado desativa melhorias do tempo de resposta (se não entendeu, não se preocupe. Também não entendi). O maior problema está entender o que o manual diz. Lá fala que "para uma imagem em movimento rápido, é recomendado que você utilize Alto". Isso não faz sentido. Se o tempo de resposta é "Alto", que dizer que é maior que 5 ms, ou seja, pode ser 8 ms, por exemplo. Ou eles queriam dizer "Alto" no sentido de maior utilização dos componentes para ficar com tempo de resposta mais baixo? Eu realmente não entendi. Deveriam ter colocado o tempo de resposta em cada opção.

Depois intriga o aviso "Definir como Alto pode causar aderência de imagem". O quê??? Quer dizer que o efeito burn-in, que marca a tela permanentemente, pode danificar meu monitor se eu melhor o tempo de reposta? Sim. Então por que diabos eles colocam essa opção? Isso quer dizer que os 5 ms são por sua conta e risco, e bota risco nisso.

Outro ponto ruim é a entrada de fone de ouvidos na parte traseira. É muito ruim o local de encaixe, pois é preciso virar a tela. Também é apertado e é preciso fazer bastante força. Poderiam ter coloca na parte de baixo do monitor, perto das caixas de som. Com essa chatice eu acabo conectando o fone de ouvido na entrada frontal do gabinete e altero o dispositivo de reprodução (da placa de vídeo NVIDIA, que transmite o som via HDMI para o monitor para a placa de som onboard).

DVI-D, DisplayPort, HDMI, entrada para som e saída para som por fone de ouvido

É bom jogar com essa proporção?*


Sim, mas existem algumas características que devem ser observadas.

A maioria dos jogos é compatível com a proporção de 21:9, mas somente na resolução máxima. Ou seja, você terá que jogar em 2560x1080. Então se tiver um hardware fraco, esqueça os jogos em 21:9.

Nessa resolução alta e com a proporção 21:9 é necessário ter um bom processador e principalmente uma boa placa de vídeo offboard. Talvez as últimas versões do controlador gráfico da Intel e uma APU AMD de última geração também dê conta do recado sem estresse.

No meu equipamento razoável (e já obsoleto para nova geração)**, os jogos com essa resolução o hardware passa trabalho. Em alguns jogos como GTA IV tive que diminuir a qualidade gráfica, pois os quadros por segundo diminuíam muito.

É possível sim jogar em uma resolução menor, mas somente com a proporção 16:9. Com essa tradicional tela aparecerão bordas pretas no canto.

Para que o monitor não estique automaticamente a imagem e fique distorcida, é necessário entrar no menu OSD do monitor. Para fazer isso, pressione o joystick (é um botão embaixo do logo da LG), vá em "Menu", em "Controle fácil" e relação. Lá troque para relação "Original", pois então o monitor não esticará a imagem.

Opções do menu OSD
Tomb Raider em 2560x1080 e 21:9
DOTA 2 em 2560x1080 e 21:9
Metal Gear Solid em 1440x900 e 16:9. Ficam tarjas pretas nos cantos

No final das contas


Vale a pena um monitor em 21:9? Sim e fim de história. Se tiver dinheiro e interesse, vá para os 21:9 sem medo, exceto quem tem hardware muito defasado, em razão do equipamento não dar conta da resolução de 2560x1080 (e lembre-se que o monitor não tem entrada analógica, apenas DVI e HDMI).






* Atualização: 11/04/2015
** AMD Athlon II X3 400e 2,2 GHz, NVIDIA GeForce GTX 750 Ti de 2GB e 8 GB de RAM.

0 comentários: